plataforma V
adaptarem às necessidades dos utilizadores e das aplicações
Os equipamentos de protecção e controlo IRV, IDV, BCV, ZLV, RTV, MCV, DCV e DRV constituem uma plataforma cujos membros partilham a mesma arquitectura e os mesmos critérios de desenho, tendo sida cada um concebido para satisfazer os requisitos de um âmbito específico de aplicação. Consulte o índice de funções ANSI.
equipamentos tecnologicamente avançados e desenhados para se
integração funcional
Integração de funções e flexibilidade foram os dois principais conceitos que orientaram o desenvolvimento desta plataforma. A integração funcional possibilita que um só equipamento cubra todas as necessidades de protecção e controlo de cada tipo de painel. A possibilidade de habilitar/desabilitar qualquer das funções incluídas num equipamento permite, por outro lado, estabelecer a distribuição de funções/painel óptimas em função do equilíbrio entre integração e redundância desejado pelo utilizador.
inovação
Os equipamentos da Plataforma V incorporam unidades de medida de alta precisão compatíveis com os requesitos mais exigentes, tanto nas magnitudes físicas de tensão e corrente como nas calculadas, de potência e energia.
precisão
flexibilidade
A unidade lógica incorporada é um dos expoentes máximos dos equipamentos da Plataforma V. Esta unidade conta com uma ampla biblioteca de funções digitais e analógicas e uma total capacidade de programação pelo utilizador, o que permite definir automatismos sobre qualquer um dos sinais e medidas geradas pelo equipamento, com velocidades de execução compatíveis com aplicações tanto de protecção como de controlo.

Qualquer um dos equipamentos da Plataforma V dispõe de grande flexibilidade e um grande número de possibilidades quando ao tipo de portas e  protocolos de comunicação, incluindo a norma CEI 61850, que representa a tecnologia mais avançada quanto ao projecto, definição e implementação de sistemas integrados de protecção, comando e controlo.
Dentro do espírito de inovação que caracteriza a ZIV, há que destacar a função de Simulador Integrado, incluída nestes equipamentos. As curvas de oscilopertubografia, em formato COMTRADE, procedentes de simuladores, protecções ou aparelhos registadores, podem ser carregados na memória destes equipamentos e ser usados como sinais (analógicos ou digitais) de entrada nos algoritmos de medida e protecção, em substituição das correspondentes magnitudes físicas, o que permite a reprodução de incidentes e o seu estudo em condições muito próximas da realidade.
Estes equipamentos, em conjunto com outros dispositivos chave na estrutura de uma subestação desenvolvidos pela ZIV (unidade central, terminal remoto, switch, sincronizador GPS, osciloperturbógrafo, diferencial de barras),  formam uma solução completa, flexível e aberta ao futuro, no âmbito da protecção, controlo e automatização de subestações.