Os terminais de controlo MCV são equipamentos baseados na mais avançada tecnologia digital e foram desenvolvidos para proporcionar o máximo de flexibilidade e versatilidade, disponibilizando todas as funções necessárias para o controlo e medida de equipamentos eléctricos.

Foram concebidos para cumprir a função de controlo e medida em sistemas em que esta função deva estar separada da de protecção, ou para o tratamento de sinalizações gerais, para envio para o sistema de controlo  e comando.
Os terminais MCV incorporam uma unidade programável que permite ao utilizador a definição da lógica de operação das funções de controlo, para total integração nos sistemas onde se integram.

Esta família de equipamentos possui um conjunto de ferramentas de comunicação e de programação fáceis de utilizar, que proporcionam um ambiente amigável  para a definição de aplicações.

Os equipamentos MCV foram projectados para funcionar como parte de um sistema integrado de protecção e controlo. No entanto as suas funcionalidades apresentam grandes vantagens quando são utilizados como complemento de sistemas convencionais de protecção. 
descrição

controlo
Os terminais MCV foram dotados com a capacidade para suportar todas as funções de controlo habitualmente requeridas em subestações, com todas as características associadas a uma URT inteligente:
O Captura de entradas digitais (máximo de 82) e estados internos
O Captura e cálculo de medidas, com interface para ligação a um transdutor de medida
O
Comando local e comando remoto, com actuação sobre os orgãos do campo por meio de saídas digitais (máximo de 34)
O
Implementação de lógicas de entradas/saídas, encravamentos, hierarquias de comandos e automatismos programáveis
O Medição de energia
O
Comunicações para ligação a uma Unidade Central de Subestação ou directamente a um Centro de Despacho

interface homem-máquina
A interface de operação permite um elevado grau de configuração pelo operador.
Segundo o modelo escolhido, o 6MCV pode ter um ou dois displays:
   - Um display alfanumérico (4 linhas com 20 caracteres por linha) que, junto com um conjunto de 8 teclas permite a interacção com os equipamentos comandados.
   - Além do display alfanumérico, um display gráfico (240x128 pixeis) para interacção com os equipamentos comandados, totalmente configurável. Para operar sobre os elementos do sistema configurados na interface (disjuntor, seccionadores, local/remoto, automatismos, etc) o equipamento dispõe de teclas na sua parte frontal., que permitem a seleccão e a execução dos comandos.
funções
O Registo de eventos e medidas
O Registo oscilográficos
O Históricos de medidas
O Sincronização horária
O Lógica programável


comunicação
Os equipamentos 6MCV podem dispôr de até três portas de comunicação na parte traseira (fibra óptica, RJ45 ou RS233/485), para acesso remoto, e uma dianteira para acesso local (RS232/USB). Na versão standard, admitem três protocolos de comunicação standard: PROCOME, DNP3.0 e MODBUS.

O protocolo PROCOME cumpre com a série de normas CEI-870-5 e é utilizado para a gestão de informação tanto de protecção como de controlo. Por outro lado, os protocolos DNP3.0 e MODBUS são utilizados unicamente para a comunicação de dados de controlo.

É importante destacar que se pode manter comunicação com as três portas simultaneamente, sendo a velocidade de cada uma delas seleccionável até 38400 baud.

Existem modelos que incorporam duas portas ETHERNET (uma RJ45 e uma em fibra óptica) como suportes físicos do protocolo CEI 61850 / UCA 2.0. Este protocolo permite o intercâmbio tanto entre o equipamento e as hierarquias superiores como entre equipamentos. Além disso, baseia-se em padrões abertos universais (ETHERNET) e suporta auto-descrição.

  6MCV                   
controlo e medida