Norma CEI 61850
A norma CEI 61850 já não é uma novidade. A sua aceitação cresce e o número de instalações em serviço que a utilizam cresce significativamente. O seu desenvolvimento representou uma árdua tarefa e um considerável esforço no qual, desde o início, a ZIV tomou parte activa, estando presente nos grupos de normalização, bem como nod diversos projectos de experimentação e demonstração de interoperabilidade levados a cabo.
para subestações
A CIE61850, para além do seu propósito de normalização, representa a oportunidade de redefinir a automatização de subestações sob um novo paradigma em que a normalização alcança não apenas os dados trocados pelos equipamentos que formam parte do sistema de automatização, mas que também inclui a informação de descrição, definição e configuração dos referidos equipamentos e da própria  subestação. Suege a oportunidade de desenvolver ferramentas verdadeiramente orientadas para o desenho de subestações e não apenas para a comunicação/configuração dos equipamentos de fabricantes específicos.

A norma CEI61850 não impõe alterações nos critérios de automatização, mas permite a realização de uma reflexão acerca dos métodos, formas e funções sobre os quais se baseia a automatização actual das subestações. Proporciona ainda meios e instrumentos tanto para a melhoria das funções convencionais como para o desenvolvimento de novas, impossíveis de realizar até ao momento.
Até à data, os fabricantes de equipamentos de protecção e controlo têm desenvolvido os seus equipamentos organizando as suas funções e empregando os protocolos de comunicações de uma forma não coordenada, o que gera dificuldades na integração de equipamentos de diferentes fabricantes, tanto na fase de projecto como na fase de explaração das instalações.

Consolidou-se ao longo dos anos a necessidade de definir uma arquitectura de comunicações que permitisse uma integração, sem 'remendos' dos IEDs (inteligent Electronic Device) dentro de elementos do mais alto nível. Uma infraestrutura que fosse independente do fabricante  e que permitisse a elementos de vários fabricantes ser integrados conjuntamente.

Com este fim, em 1994 a EPRI e a IEEE começaram a trabalhar, dentro do projecto UCA (utility Communications Architecture), na definição de uma arquitectura para o 'bus' de comunicações de subestações.

Em 1996 o Comité Técnico 57 da CEI começa a trabalhar com o mesmo objectivo na CEI 61850. Já em 1997 os dois grupos acordam em trabalhar juntos na prosecussão de um standard internacional, cujo resultado é a norma CEI61850.
Certificação e interoperabilidade
A norma CEI 61850, na sua parte 10, normaliza um conjunto de técnicas para demonstrar a conformidade da implementações dos IEDs, do ponto de vista das comunicações (não da funcionalidade do equipamento). Estes testes de conformidade podem ser considerados como as 'provas tipo' das comunicações e é a UCA International Users Group quem define os procedimentos de teste de forma detalhada.
Como standard global de comunicações, a norma CEI61850 inclui testes de conformidade normalizados que permitem a garantia de que todos os fabricantes de IEDs cumprem com os requisitos que lhes sejam aplicáveis. Desta forma é possível melhorar a capacidade do sistema para integrar os IEDs mais facilmente e de assegurar que os IEDs operem correctamente. Em conclusão, trata-se de garantir a interoperabilidade dos IEDs.

Estes teste de conformidade, do ponto de vista da interoperabilidade, representam as garantias mínimas, já que a experiência demonstrou tem demonstrado que IEDs que possuem os referidos certificados de conformidade têm tido a necessidade de ser modificados quando, aplicados em operação junto com equipamentos de outros fabricantes, têm demonstrado não ser verdadeiramente interoperáveis.
 
Esses testes de aplicação põem em evidência que muitas das implementações da norma CEI61850 em subestações com um único fabricante não garantem ao utilizador final a disponibilidade de um sistema aberto e interoperável. A interoperabilidade só é garantida quando os IEDs a demostram em sistemas multi-fabricante.

A ZIV dispõe dos certificados de conformidade da sua gama de equipamentos de protecção e controlo. Esses certificados foram emitidos pelo laboratório da KEMA (holanda), após superados todos os testes aplicáveis segundo a norma.